Novo Celer encara as trilhas da Chapada dos Veadeiros

Novo Celer encara as trilhas da Chapada dos Veadeiros

O Chery Novo Celer 1.5 Flex 2015, objeto de um teste de longa duração do site Car Blog, realizou uma incursão “off-road” na Chapada dos Veadeiros, em Goiás, e este artigo traz as impressões iniciais do site sobre seu comportamento nesse ambiente.

O Novo Celer é um exemplar nacional, fabricado em Jacareí, Estado de São Paulo. Este modelo passou por um processo de tropicalização que, além da reformulação na dianteira e interior, delineou um ajuste na suspensão, que ficou 1.5 cm mais elevada e recebeu reforços para aguentar a pavimentação de baixa qualidade observada no Brasil, mantendo o ajuste macio observado no modelo que era importado.

O resultado é que, em nosso teste, já colocamos o Novo Celer em pisos ruins, alguns muito ruins, e mesmo assim não observamos o fim de curso de suspensão – que é caracterizado pela batida seca de suspensão. O interior, por enquanto, também está livre de ruídos de peças soltas.

Outro ponto é em relação às lombadas e valetas, que o Novo Celer, com sua suspensão elevada, supera com facilidade, sem que, até o momento, ter registrado raspadas na parte inferior, mesmo sendo submetido a estradas de terra relativamente desafiadoras.

Comportamento em estrada

A Chapada dos Veadeiros fica a cerca de 280 quilômetros de Brasília (DF), sendo o percurso inicial de 230 quilômetros de Brasília à Alto Paraíso, pela rodovia GO-118, que está em bom estado de conservação e bem sinalizada em sua maior parte. Posteriormente, há mais 40 quilômetros de Alto Paraíso à São Jorge, que é o distrito do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros.

Comportamento em rodovia de mão simples

Nos primeiros 230 quilômetros, o Chery Celer, abastecido com etanol, mostrou um bom comportamento em estrada em função do ajuste do motor para oferecer torque em rotações mais elevadas. Isso deixa o Novo Celer um pouco decepcionante em cidade, com arrancadas um pouco lentas, mas, em estrada, ele mostra vigor, transmitindo segurança nas ultrapassagens, e capacidade de manter velocidades de cruzeiro elevadas sem dificuldade.

Outra característica do Novo Celer, que é seu peso [elevado] de 1.200 Kg, que prejudica sua agilidade em trânsito urbano, o beneficia em estrada. O carro tem boa estabilidade direcional e não é afetado por ventos transversais. Somo-se a isso a boa estabilidade em curvas e tem-se um carro bastante competente para rodovias.

Outros pontos a destacar são o excelente porta-malas de 380 litros, importante para um carro “estradeiro”, e o fato de seu motor quatro cilindros 1.5 16V de 113 cavalos aguentar bem, sem perda significativa de rendimento, uma carga maior no carro (mais passageiros e bagagem). O Novo Celer 1.5 sente menos a carga adicional que os modelos equipados com motor 1.0 que ele compete, como o Ford Ka, por exemplo.

Ademais, os faróis com projetores e sistema de ajuste do facho se mostram bastante úteis. Em estrada, é possível ajustar o facho para a posição mais elevada possível, ampliando o alcance da iluminação. Já em trilhas de terra, percorridas em baixa velocidade, o ideal é abaixar o foco de luz, permitindo uma melhor visualização dos obstáculos.

O Novo Celer ainda não voltou ao ambiente urbano, mas essas impressões iniciais de um uso em rodovia e também seu comportamento em um percurso “aventureiro” são positivas, sugerindo que o processo de tropicalização do modelo foi criterioso.

O ajuste de suspensão mais elevado facilita muito seu trânsito em trilhas leves, assim como sua maciez transmite conforto aos passageiros. E, finalmente, o que mais chama a atenção é a integridade da carroceria e dos componentes do interior, mesmo após terem sido submetidos a percursos desafiadores e muito acidentados.

Conclusão

O Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros é um local livre de carros – só se anda lá à pé, mas nas imediações, no distrito de São Jorge, existem uma série de trilhas de terra onde o Chery Celer foi colocado à prova, sobretudo seu conjunto de suspensão, e a integridade do interior.

E ao rodar nesse tipo de piso fica claro que o ajuste de suspensão macio do Novo Celer consegue filtrar com competência as irregularidades da via, amenizando muito o incômodo provocado pelos impactos nos buracos e obstáculos. Além disso, a coluna dos passageiros agradece, já que os trancos provocados pela via acidentada são amenizados. O vídeo abaixo mostra o tipo de trilha que o modelo enfrentou.

É claro que não se trata de um off-road pesado, pois o Novo Celer não é um carro indicado para isso, mas podemos dizer que o hatch se saiu bem. Em nenhum momento houve contato do assoalho com o piso, e também não observados perda de contato das rodas com o piso, transmitindo segurança ao motorista. Também não percebemos batidas secas de suspensão, que caracterizam o fim de curso.

Em relação à barulhos internos de eventuais peças de plástico que se soltem, ainda não registramos nada. O interior do Novo Celer está íntegro, sem ruídos de componentes internos ou externos que denotem perda de fixação – algo que nos impressionou bastante.

No que respeita ao funcionamento de motor, câmbio e direção nessas condições, fica claro que não estão afinados para off-road, já que não é a proposta do carro. A relação bastante desmultiplicada da direção, não muito direta, ajuda bastante em percursos de terra em velocidade mediana, pois evita movimentos bruscos do carro. Além disso, a assistência hidráulica bastante acentuada torna a tarefa de conduzir o carro menos cansativo.

O que pode melhorar é precisão das trocas de marchas, e, também, a relação de marcha à ré, que é excessivamente longa – algo que fica claro com as trepidações ao se movimentar o carro, similares às que se observa ao tentar sair com o carro em 2ª marcha. O fato de a embreagem ser muito alta nós já nos acostumamos, mas um ajuste com maior progressividade ao longo do curso certamente aumentaria a suavidade de funcionamento do carro em manobras de baixa velocidade.

VEJA TAMBÉM:

Deixe um comentário!

comentários